Magia Zen

Atração do Amor Universal Místico e Esotérico

Curiosidade sobre Samhain

1º de Maio 

Samhain – A Morte do Deus

31 de outubro no hemisfério Norte

1º de maio no hemisfério Sul

Samhain (pronuncia-se Sou-ein), festejado em 31 de outubro no hemisfério Norte e em 1º de maio no hemisfério Sul, é o Ano-Novo dos Bruxos. Esse dia sagrado é conhecido por inúmeros nomes. Para muitos, talvez, o mais conhecido seja Halloween. Para nós, Bruxos, é a festa na qual honramos nossos ancestrais e aqueles que já tenham partido para o País de Verão.

Essa é a noite em que o véu que separa o mundo material do mundo espiritual encontra-se mais fino e o contato com nossos ancestrais torna-se mais fácil. É também o momento tradicional para celebrar a última das colheitas e se preparar para o Verão.

O poder de magia pode ser sentido no ar, nessa noite. O Outro Mundo se coaduna com o nosso conforme a luz do Sol baixa e o crepúsculo chega. Os espíritos daqueles que já partiram para o outro plano são mais acessíveis durante a noite de Samhain.

Fonte: O Poder da Bruxa

Um pouco da Magia da Primavera para você

A primavera é a estação do ano que se segue ao Inverno e precede o Verão.

É tipicamente associada ao reflorescimento da flora e da fauna terrestres.

A Primavera do hemisfério norte é chamada de “Primavera boreal”, e a do hemisfério sul é chamada de “Primavera austral”.

A “Primavera boreal” tem início, noHemisfério Norte, a 21 de Março e termina a 21 de Junho.

A “Primavera austral” tem início, no Hemisfério Sul, a 22 de Setembro e termina a 21 de Dezembro.

Do ponto de vista da Astronomia, a primavera do hemisfério sul inicia-se no equinócio de Setembro e termina no solstício de Dezembro, no caso do hemisfério norte inicia-se no equinócio de Março e termina no solstício de Junho.

Como se constata, no dia do equinócio o dia e a noite têm a mesma duração. A cada dia que passa, o dia aumenta e a noite vai encurtando um pouco, aumentando, assim, a insolação do hemisfério respectivo.

Estas divisões das estações por equinócios e solstícios poderão ser fonte de equívocos, mas deve-se levar em conta a influência dos oceanos na temperatura média das estações. Na Primavera do hemisfério sul, os oceanos meridionais ainda estão frios e vão aos poucos aquecendo, fazendo a Primavera ter temperaturas amenas ao longo desta estação.

A entrada da cada estação consta na roda do Ano Pagão, e assim a cada estação, uma comemoração.

A Roda do Ano é o que simboliza a concepção de tempo dos pagãos e principalmente a dos Celtas e que era um tanto quanto diferente da atual.

Eles não viam o tempo de forma linear, mas circular, cíclico.

Seus calendários levavam em conta não só o ciclo solar, como é o nosso, mas também o ciclo lunar.

Originários da tradição celta, os Sabbats ocorrem oito vezes ao ano, levando-se em conta a posição da Terra com relação ao Sol: Equinócios e Solstícios.

Nessas ocasiões, na Wicca, são homenageadas duas divindades: a Deusa Mãe, ou simplesmente a “Deusa”, que simboliza a própria terra, e o Deus Cornífero, O Gamo Rei, protetor dos animais, dos rebanhos e da vida selvagem.

Já em outros ramos do Paganismo, outros Deuses são adorados, pois que nem todos tem essas duas únicas figuras centrais.

Ostara, na primavera, está relacionada com festividades que se celebram durante o equinócio.

21 de Março (Hemisfério Norte) e 21 de Setembro (Hemisfério Sul).

Agora noite e dia são iguais.

Em Ostara o Sol aumenta em poder e a terra começa a florescer.

Na época do equinócio de primavera, os poderes da fase de armazenamento do ano são iguais aos da escuridão do inverno e da morte.

Para muitos pagãos, o jovem Deus, com seu chamado de caça, mostra o caminho com dança e celebração.

Outros dedicam essa época do ano a Eostre, a Deusa anglo-saxã da fertilidade.

Para os wiccanos também é época de começar a plantar, época do amor, de promessas e de decisões, pois a Terra e a natureza despertam para uma nova vida.

Magia dos Instrumentos do Bruxo e da Bruxa

 Na Wicca são chamados Instrumentos Mágicos os instrumentos que são usados na prática religiosa para focalizar a intenção e a atenção do praticante em uma determinada ação. Cada instrumento tem relação com algum dos cinco elementos da natureza: Terra, Ar, Fogo, Água e Akasha.

 

Veja os principais:

Pentagrama (ou Pentáculo)

É uma estrela de cinco pontas dentro de um círculo. Pode ser feito de madeira, metal, argila, ou outro material. Em alguns rituais o pentagrama pode ser contornado com pedras

Athame ou Espada Ritual

É um punhal de lâmina dupla e cabo tradicionalmente preto. Também pode ser substituído por uma espada com fins estritamente rituais. É usado para direcionar energias e também para traçar o Círculo Mágico, representa a energia masculina, sendo um símbolo fálico. Representa o elemento fogo (ou ar em algumas tradições). O Athame nunca é usado para derramar sangue, nem deve ser usado para cortar algo físico.

Varinha ou Bastão

Tem simbolismo semelhante ao Athame, usado para direcionar energia e para invocações, também é usado para traçar o Círculo Mágico. Representa o elemento ar (fogo em algumas tradições). Tradicionalmente é feito de madeira de uma arvore sagrada como Aveleira, Carvalho, Macireira, Freixo, Espinheiro, Sabugueiro, Acácia, Loureiro, entre outros, mas qualquer arvore serve, normalmente se toma galhos já caídos, e no caso de cortar sempre se pede permissão à árvore e deixa-se alguma oferenda.

Cálice

Representa o elemento água, é usado para se beber o vinho ou outra bebida ritual, simboliza o principio feminino relacionando-se, assim como o Caldeirão, ao ventre da Deusa. Pode ser feito de metal, cristal, madeira, pedra, concha do mar, chifre, entre outros.

Caldeirão

O caldeirão simboliza o princípio feminino, representa o útero de Deusa-Mãe, de onde todas as coisas vêem. É usado pelos wiccanos para queimar papéis com pedidos, agradecimentos e orações ou para fazer fogueiras. Tradicionalmente possui três “pés” que representam as três faces da Deusa: Donzela, Mãe e Anciã. O caldeirão está ligado ao elemento Água que denota uma influência psíquica e do inconsciente.

Vassoura

Na bruxaria em geral, e especificamente na Wicca, a vassoura é um instrumento usado para limpar o espaço mágico antes ou depois de fazer algum feitiço ou ritual. A vassoura representa o masculino (através do cabo) e o feminino (através da piaçava). Era comum as bruxas utilzarem vassouras em seus ritos de celebração da natureza, pulando sobre as vassouras em meio a colheita, o que levou à crença moderna de que bruxas voam em vassouras. Nos rituais matrimoniais da Wicca existe uma tradição onde os recém-casados saltam (com as mãos dadas) uma vassoura deitada no chão, para marcar o início da vida espiritual em perfeita união.

Livro das Sombras

O Livro das Sombras, muito conhecido como BOS (do inglês Book Of Shadows), é um diário usado por praticantes de magia para registrar rituais, feitiços e seus resultados, bem como outras informações mágicas. Tanto praticantes individuais quanto covens mantêm esse tipo de Livro. Nele são inscritos invocações, receitas de poções, métodos de realização de rituais, contos sobre a mitologia, enfim, tudo relacionado à tradição seguida. Tradicionalmente, muitos preferem que seja preto com um pentagrama cravado na capa, mas isso não é regra. Por ser um Livro pessoal, pode ser de qualquer cor e qualquer material que o praticante desejar, normalmente os praticantes preferem ornamentar com folhas, canela, e também com papel reciclado, mas isso é escolha de cada um.

Bolline

Faca de cabo tradicionalmente branco, geralmente usada para colher ervas e gravar inscrições. É, simplesmente, uma faca prática de trabalho dos wiccanos, ao contrário da puramente ritualística athame. Em algumas tradições é substituída por uma foice.

Sino

O sino é usado na religião Wicca para marcar o início e/ou o fechamento de um ritual, para invocar seres específicos em um ritual e também para despertar da meditação os membros do coven. Também é tocado quando se deseja afastar coisas malignas, para interromper tempestades ou para invocar e circular energias positivas. Nos rituais funerários da Wicca os sinos também são tocados, em honra àquele que partiu.

 

Fonte: wikipédia

Magia dos Sabbats

 

As práticas Pagãs, dando destaque maior à Wicca, se expandiram de uma forma inacreditável pela América do Norte e Europa.

Hoje o número de Bruxos somam aproximadamente 250.000 nos EUA, ultrapassando inúmeras religiões tidas como convencionais, dentre as quais o Budismo e o Universalismo Unitário.

O Censo canadense de 1991 registrou 5.530.000 Neo-pagãos que seriam compostos principalmente de Wiccanianos, outra pesquisa realizada em 1997 constatou a existência de 12 milhões de Bruxos em todo o mundo. Porém, acredita-se que o número atual é muito maior, pois muitos não expõem sua condição religiosa publicamente.

A Wicca é formada por grupos de tradições religiosas, alguns estão fortemente estruturados, enquanto que a maioria é eclética. Muitos, talvez a maioria dos Wiccans sejam praticantes solitários.Os Wiccans adoram uma deusa e seu consorte, um deus cornífero.

Seu símbolo principal é o pentagrama ereto (uma estrela de cinco pontas com duas pontas para baixo e uma para cima), às vezes dentro de um círculo para dar forma a um pantáculo.

Seus grupos são chamados covens, sua regra de comportamento é chamada Rede Wicca que significa : “faça o que desejar, desde que não prejudique ninguém, inclusive você mesmo”.

Aos Wiccans não é permitido dominar, manipular, controlar, ou prejudicar o outro!

 

Festivais são celebrados, denominados Sabbats.

 

A “Roda do Ano”, os 8 Sabbats, são celebrados a cada ano pelos Bruxos, prática originada pelos povos antigos que celebravam a passagem do ano de acordo com as estações do ano, épocas de colheita e lactação de animais.

Os quatro Sabbats principais (ou grandes) correspondem ao antigo ano gaélico e são chamados de Imbolc (Candlemas), Beltane, Lammas (Lughnassad) e Samhain.

Os quatro menores são Ostara (Equinócio de Primavera), Litha (Solstício de Verão), Mabon (Equinócio do Outono) e Yule (Solstício de Inverno).

Ao contrário da imagem que muitas pessoas têm do Sabbat dos Bruxos, eles não constituem uma ocasião em que as Bruxas se reúnem para realizar orgias, lançar encantamentos ou preparar poções misteriosas.

A magia raramente é realizada, se é que isso acontece, num Sabbat de Bruxos.

O Sabbat, infelizmente tem sido confundido também com a “Missa Negra” Satânica ou “Sabbat Negro”, sendo esse outro conceito errado que muitas pessoas têm e que é decorrente de séculos de propaganda antipagã da Igreja, do medo, da ignorância e da imaginação excessiva dos escritores desde a Idade Média.

Uma Missa Negra não é um Sabbat de Bruxos, mas uma prática satânica que parodia o principal ritual do Catolicismo e que inclui supostamente o sacrifício de bebês não batizados, orgias sexuais pervertidas e a recitação de trás para frente do “Pai Nosso”.

Nada disso jamais acontece nos Sabbats dos Bruxos.

Não há sacrifícios (humano ou animal), não há o que chamam de magia negra, não há rituais anticatólicos.

Os Sabbats são apenas datas em que os pagãos celebram a vida e tudo que nela existe, celebram a Natureza, dançam, cantam, deleitam-se com alimentos pagãos e honram as deidades da Religião Antiga (principalmente a Deusa da Fertilidade e Seu Consorte, o Deus).

Em certas tradições wiccanas, a Deusa é adorada nos Sabbats de Primavera e do Verão, enquanto o Deus é homenageado nos Sabbats do Outono e do Inverno.

A celebração de cada Sabbat é uma experiência espiritual intensa e sublime que permite aos wiccanos permanecerem em equilíbrio harmonioso com as forças da Mãe Natureza.

 

Veja agora as datas de comemorações Sabbaticas:

 

Data dos Sabbats no Hemisfério Sul

Samhain 1 de Maio

Yule 21 a 23 de Junho (Solstício)

Imbolc 30 de Julho

Ostara 21 a 23 de Setembro (Equinócio)

Beltane 31 de Outubro

Litha 21 a 23 de Dezembro (Solstício)

Lammas 1 de Fevereiro

Mabon 21 a 23 de Março (Equinócio)

 

 

Data dos Sabbats no Hemisfério Norte

Samhain 31 de Outubro

Yule 21 a 23 de Dezembro (Solstício)

Imbolc 1 de Fevereiro

Ostara 21 a 23 de Março (Equinócio)

Beltane 1 de Maio

Litha 21 a 23 de Junho (Solstício)

Lammas 1 de Agosto

Mabon 21 a 23 de Setembro (Equinócio)

 

A Boa Leitura da Bruxa

Magia na leitura da Bruxa e do Bruxo

Qual Livro devo ler sobre Magia?

 

Vários leitores do MagiaZen fazem esta pergunta, e como não estou conseguindo responder a todos, resolvi postar umas dicas.

É difícil indicar um livro sobre wicca ou magia, enfim livros exotéricos e místicos, e vou dizer porque…

Minha sobrinha me mostrou um livro que estava lendo, há muito tempo atrás, e me interessei, fui numa livraria, li a contra capa e gostei do conteúdo.

Li o livro e amei!

Uma mega amiga minha Bruxa das boas, me indicou um livro de magia… corri comprar.

Li e odiei!

Achei fraco e exagerado, e ai então aprendi que “gosto não se discute”.

Já pequei também em indicar livro que considerei bom e a pessoa achou fraco demais.

 

Moral:

Todo mundo tem suas diferenças de gosto e aceitação.

 

Por mais que curtem a mesma coisa, enxergam de formas diferentes, e livro precisa de uma sinopse antes de viajar na leitura.

A melhor maneira ainda é ir a uma boa livraria e pesquisar, ver tudo que existe e ler o resumo da ante-capa para sentir se gosta.

Experimente entrar na livraria e ficar um tempo na sessão exotérica, é um passeio gostoso.

E caso não encontre nada legal, não desista, sempre tem lançamentos e pode surgir algo que se identifique.

Aos poucos você vai ficar craque em escolher um bom livro de Magia…

 

E Boa Leitura!!!

 

11 dicas de uma Bruxa da Europa

Dicas de uma Bruxa originária da Itália, que assinou como desconhecido, mas passa adiante seu aprendizado hereditário…

As 11 coisas que uma Bruxa precisa e deve saber;

1. Magia é o que acontece quando você se abre para o Divino. Toda Magia real é uma manifestação do Divino. É como você recriar a realidade com a Divindade.

2. O Divino está dentro de você e está presente em toda parte do mundo natural. E tudo está interligado por esta energia sagrada.

3Wicca não é sobre informações – É sobre transformação, de forma prática… prática e… prática… e fazê-la tanto quanto possível na natureza! Bruxaria!

Permitindo que você possa comungar com as Divindades e manifestar seus desejos, seu destino e sua energia ao mais elevado e sagrado.

4. A ética é real e praticada naturalmente pelas bruxas que vivem a magia simples: As Bruxas vivem de uma maneira sagrada porque o mundo é sagrado, portanto é necessário tratar toda forma de vida com reverência e respeito.

5. Porque toda magia que flui de nossa conexão com o sagrado é energia de nossa vida, esta deve ser guiada pela natureza sagrada quando trabalhamos com ela.

6. O trabalho energético das bruxas não é neutro, é amor Divino.

7. A Magia muitas vezes funciona de maneira inesperada porque não é um processo mecânico, e o Universo não é uma máquina. Você está vivendo e fazendo magia dentro de uma Divina Realidade, e de uma vida orgânica.

8. As Bruxas não comandam nem controlam destinos, apenas recriam.

9. O Segredo Real da conjuração do sucesso, como acontece com toda magia, é a sua ligação com o Poder Divino que habita dentro de você e te rodeia. Tenha sempre cuidado com o que vai pedir.

10. A Natureza faz o tangível Divino. Ao trabalhar, viver e praticar sua magia em harmonia com a natureza, você estará em harmonia com o Divino.

11. O seu mestre interior é o Deus e a Deusa e está dentro de você, no mundo e em toda natureza ao seu redor… pense com amor e aja com o coração.

 

 

 

A maravilhosa Bruxa de Cozinha

Magia de Bruxa de cozinha (Deusa Doméstica)

Uma bruxa informal e solitária!

Todo mundo já presenciou a Bruxa de Cozinha em sua família, mesmo que ela não se reconheça como uma, por falta de conhecimento e leitura sobre ser Bruxa…

As vezes, por motivo da criação (religião) e da sociedade em que cresceu, uma Bruxa não se identifica como uma por preconceito e falta de cultura em seu ambiente. Mas isto é outra história!

Sabe aquela mãe, tia, avó… que cozinha maravilhosamente bem e nem se gaba por isso? Esta é a Bruxa de Cozinha da sua família.

Ela é aquela que usa principalmente magia prática centrada na casa, seu lar e com a família.

Na família de Wicca a bruxaria de cozinha, é uma especialidade nata e única do Artesanato com Alimentos, que se concentra mais em honrar o paladares e na Alquimia de tudo que entra em sua cozinha.

Isso envolve sim em honrar a Deusa por cuidar do lar, de encontrar significado sagrado em tarefas domésticas diariamente, e cozinhar com bênção todos os dias, com amor e magia.

Culinária e comida é uma parte integrante da bruxaria cozinha.

As honras da bruxa da cozinha, preparando as refeições com intenção amorosa, são dedicadas a todos que desfrutarão de seus serviços.

Usando ingredientes frescos, muitas vezes de seu próprio jardim, ela faz magia na cozinha, criando a deliciosa cozinha sazonal, remédios de ervas e magias.

A Cozinha da Bruxa está em sintonia com as estações e os elementos da natureza.

Ela cresce e come o alimento na época, e honra a roda do ano, marcando os festivais, solstícios e equinócios, embora ela não adere a normas específicas ou rituais, e sem prejudicar nunca a ninguém.

Se você identificou alguém assim, ou mesmo se identificou com esta Bruxa maravilhosa, que nada mas faz do que cuidar do Lar com amor e alimentar todos com amor e dedicação, parabéns, pois existe “Vida” em seu estilo de vida.

Toda família tem uma Bruxa de Cozinha, e toda família tem uma Bruxa, pois para ser uma basta nascer!

Leia mais sobre as Bruxas Solitárias e sobre as Bruxas de Cozinha, você vai perceber que o título é o de menos, mas as atitudes é que são de amor a vida, que no mínimo é saber lidar com a vida instintivamente com amor.

A magia do Casamento Celta

O que é um Handfasting?

Cerimônias Handfasting estão envoltas em mitos e equívocos.

Uma pessoa ao receber um convite para participar de uma cerimônia de handfasting geralmente pergunta: “Que diabos é um handfasting?”

Algumas pessoas acreditando ser relacionado com a religião Wicca, educadamente recusam o convite.

Outros por curiosidade assistem apenas para se certificar que não há qualquer dançar nua ao redor de uma fogueira ou sacrifício de animais…(pura ignorância)!

E uma porcentagem muito, mas muito pequena comparece porque entendem o significado histórico da cerimônia handfasting e querem ser parte de tal ocasião especial, espiritual, e muito linda.

Então precisamos de uma “pincelada” na história para entender um pouco…

A história de Handfasting

Handfasting é um antigo costume celta que era praticado em vários países europeus, incluindo Alemanha e Escócia e não foi de todo um ritual pagão.

Ele realmente nasceu por necessidade.

Casais que queriam ser casados ​​, mas não tinham um clérigo desenvolveram o costume de handfasting.

O Dicionário da Língua mais antiga da Escócia (Dost) dá vários exemplos que ilustram que handfasting no final da Idade Média e início da Escócia moderna que se refere ao noivado (sv handfast).

Era uma prática comum na Europa para uma série de anos como um meio para um casal praticamente realizar sua cerimônia de casamento própria.

Nem sequer têm de ser consumado pela relação sexual como outros acreditam nem presenciado por outras pessoas.

Poderia ser apenas um simples acordo entre um homem e uma mulher que seria o marido e a esposa, quando então os dois seriam considerados casados.

Observe que, para qualquer método de casamento medieval, o casamento para ser válido, não importava se houvesse qualquer testemunha ou não, com testemunhas apenas seria mais fácil de provar, não importava se havia padre presente ou não, se o casamento fora abençoado, nem sequer importava se o casamento fora consumado ou não.

Um casal que trocava consentimentos nas matas, cercados por esquilos apenas como as testemunhas, contra a vontade de seus pais, e nunca teve relações sexuais era legal pela lei de ambos Igreja e Estado.

O costume continuou a ser observado na Escócia, mesmo depois de Senhor Harwicke, um advogado e Lorde Chanceler, decretou que qualquer casamento não realizado por um membro do clero era ilegal.

Embora a Lei do Casamento de 1753, como era chamado, fez muito para reduzir o número de casamentos clandestinos realizados sem o benefício do clero, observe que o casamento do período medieval foi regulamentado pelo direito canônico, não direito civil, a Escócia ainda persistia em reconhecer esses casamentos de “consentimentos” e fê-lo até 1939.

Então Escócia se tornou o tipo de Vegas da época com muitos casais desesperados correndo ao longo da fronteira para dentro do país para se casar, no entanto ilegal!

Desde 1200 que a Igreja Católica interferiu nos casamentos por consentimentos, como eram conhecidos, e em 1560 surgiu assim o divórcio e o recasamento, para casos de parentesco, jovens demais ou já casados.

No final da Idade Média, a partir do século 13, um casamento legal consistia em ter;

Noivado, cerimônia de consentimento, contrato oficial pelo clero, proclamação de interditos (anúncio público perante igreja católica), casamento seguido de bênção clerical, testemunhas na igreja, início de convivência com filhos batizados pela Igreja Católica.

Enfim, handfasting acabará de ser considerado pecado perante uma sociedade católica, onde o domínio era do Clero e do Estado em conjunto.

Mas muitas “águas rolaram” e muitos tipos de regras surgiram nessa trajatória, e voltando ao Handfasting;

Casado há um ano e um dia

Em algum lugar no final do século 18, um mito que surgiu handfasting poderia ser usado como uma espécie de “julgamento” ou temporário casamento com duração de um ano e um dia, e depois desse período de tempo, ainda mais se o casal concordou em continuar com o casamento permanentemente.

No entanto, durante esse ano e um dia, se uma criança nasceu da união, o casamento era realmente considerado permanente.

A partir deste mito, muitos grupos pagãos pegou handfasting como um meio para que uma cerimônia de casamento fosse realizada sem as bênçãos da igreja e sem necessariamente ser juridicamente vinculativo.

Amarrando o nó

Handfasting é um ato físico de ligação das mãos do casal, juntamente com uma tira de pano, uma corda, ou o que quer que possam estar disponíveis.

O casal cruza as mãos, mão direita para mão direita, da esquerda para a esquerda, fazendo uma figura oito, o símbolo do infinito.

Para um handfasting estilo celta, durante a repetição dos votos , a corda é enrolada em torno das mãos do casal por três vezes.

Outro embrulho mais complexo consiste em enrolar a corda no sentido das mãos cruzadas, no símbolo do infinito, terminando com um nó sobre as mãos cruzadas.

A tradição do Cordão Handfasting

Cordões Handfasting são mais práticos e atraentes para a maior parte do que fitas e tiras de pano e são geralmente usados ​​em conjuntos de três.

Os três cordões podem ser mantidos separados ou trançados em conjunto.

Apesar de o casal poder escolher qualquer cor, na tradição usa-se o branco, pela pureza, o azul da fidelidade, e vermelho para a paixão.

Os cordões com variações de cores medem geralmente dois metros de comprimento.

Na Polônia, um handfasting é chamado de “zrekowiny” e o costume é usar somente branco nos cordões.

Em muitos casamentos, os cordões são passados entre os convidados para que cada um dê uma bênção ao casal, antes de entrelaçar nas mãos do mesmo.

Outra parte do ritual handfasting que alguns casais gostam de incluir é o consumo de vinho do cálice handfasting.

O cálice é geralmente de prata e de design Céltico, embora os casais possam optar por usar um cálice de prata, que já era da herança.

Primeiro a noiva bebe e depois o noivo, para então os dois beberem juntos.

Este é um símbolo que, embora o casal está sendo casados, eles são dois indivíduos separados que ainda estão dispostos a compartilhar com o outro durante toda a vida como um casal.

Uma Síntese da Magia e Wicca

Tradição Pagã

Síntese da Bruxa


Wicca é uma religião baseada na natureza, um desdobramento moderno das tradições pagãs pré-cristãs da Europa.

Existe um Deus e a Deusa, embora não haja Bíblia e nenhuma autoridade central que rege, a religião não reivindica nenhum dogma.

Porém, só se considera um wiccano se obedecer a Lei;

“Sem prejudicar ninguém, faça o que quiser.”

WICCA às vezes chamado de feitiçaria, ou A Velha Religião, representa uma antiga religião de amor à vida e à natureza.

A Wicca é simplesmente uma das religiões mais irresistíveis do mundo, porque ela estimula o intelecto, promove uma maneira simples e prática de vida e, o mais importante, é emocionalmente gratificante.

Wicca celebra os sabás, que marcam as estações do ano.

A bruxa ou bruxo, no coven ou sozinho, usa magia e ervas para direcionar o tempo e a matéria, a fim de alcançar a satisfação psíquica e espiritual.

Bruxas não adoram o diabo!

Bruxaria existiu bem antes ao Cristianismo e não incorpora a crença no Diabo cristão.

Nos últimos 15 anos as crenças em feitiçaria têm evoluído na teoria e na prática.

Os estudos aprofundaram em astrologia, tarô e runas, ervas e pedras, e numerologia.

Reverenciar a natureza e o mundo em que vivemos é a maior prioridade na vida.

Os sábios em magia utilizam o mês lunar, os aspectos dos Esbats e Sabás com muito respeito.

A magia é unida a sabedoria, a visão do mundo moderno e resgates do antigo, a filosofia de vida e no caminho do amor incondicional.

Nossa inteligência nos dá uma responsabilidade única em relação a nosso meio ambiente, pois buscamos viver em harmonia com a Natureza, em cumprimento do equilíbrio ecológico dentro de um conceito evolucionário.

Reconhecendo que há mais de um caminho para a iluminação espiritual e que a Wicca é apenas um de muitos, não abordamos ninguém tentando converter para ser um bruxo e respeitamos todas as formas de religiões.

Em tempos pré-históricos, pessoas respeitavam as grandes forças da Natureza e comemoravam os ciclos das estações e da lua.

As divindades eram o sol, a lua e a própria Terra, as energias criativas do universo eram personificadas: os princípios feminino e masculino eram deusas e deuses.

Não existiam figuras semi-abstratas ou sobre-humanas.

Existiam mulheres e homens, a terra e o céu, plantas e animais, pedras e rochas, rios e mares…

Acreditava-se em espíritos da natureza, inteligências biológicas e muitas vezes poderosos e aliados aos humanos.

Aliados porque como eram respeitados atendiam chamados em rituais e trabalhos de magia.

Até hoje, os elementos da natureza, são vistos como Terra, Ar, Fogo, Água e Espírito, sendo formas científicas da matéria; sólido, líquido, gás e plasma unidos pelo espírito e simbolizados em magia pelo pentagrama.

Todos são necessários e devem estar em equilíbrio, pois são os alicerces da criação e da base da própria vida.

A Terra é a essência da fertilidade e da solidariedade, que alimenta, que liga e dá forma.

O Ar é a essência da inteligência.

O Fogo é a essência da força e da defesa, que anima e ativa.

A Água é a essência das emoções e da fecundidade fazendo coisas maleáveis e flexíveis.

As representações físicas destes elementos são simplesmente as suas formas brutas no mundo material.

De forma celestial, enviados por seres divinos veio uma hierarquia de espíritos chamados Elementais.

A tarefa foi a de governar os elementais dos quatro elementos.

Então os Gnomos vieram para governar a Terra, os Sílfos para controlar o Ar. As Salamandras para comandar o Fogo e as Ondinas para prevalecer sobre a Água.

Os elementos e elementais são atribuídos aos quatro pontos cardeais de um círculo sob os olhos vigilantes dos Guardiões, que estão próximos da fila na hierarquia do mundo espiritual.

Assim, a Terra e gnomos são atribuídos ao Norte, o Ar com os Sílfos para o Sul, o Fogo com as Salamandras ao Leste e a Água com as Ondinas para o Oeste.

Terra:

A Deusa da Lua, o planeta Marte, os signos do zodíaco de Touro, Virgem e Capricórnio, a estação do outono.

É o elemento da estabilidade, ordem e aterramento, da fertilidade e gravidez, nascimento e crescimento, do material e negócios, prosperidade e criatividade.

Como o elemento de onde viemos e para onde voltaremos, é o elemento da morte e renascimento, do começo e fins, e do silêncio.

Ar:

O Deus do Sol, o planeta Vênus, os signos do zodíaco de Gêmeos, Libra e Aquário,a estação da primavera.

É o elemento do intelecto, do estudo, de rever e aprender,e portanto, das ciências.

É o elemento da juventude, da criatividade, da espontaneidade, da comunicação e das viagens.

Fogo:

O Deus do Sol, o planeta Mercúrio, os signos do zodíaco de Áries, Leão e Sagitário, a estação do verão.

É o elemento da resistência, da força física, da força de vontade e da energia.

É o elemento da paixão, da coragem, da proteção, da purificação, da transformação, do caos e da destruição, da vida e saúde, do sexo.

Água:

A Deusa da Lua, o planeta Júpiter, os signos do zodíaco de Câncer, Escorpião e Peixes, a estação do inverno.

É o elemento da sabedoria, da clareza, do senso comum, da experiência vivida, da intuição, emoção, adivinhação e do relacionamento.

É o elemento da cura, dos aspectos de transformação e purificação, mas também representa a morte e o renascimento.

Espírito:

Espírito é o elemento de transcendência,da transformação, da mudança.

Está em todo lugar e em nenhum lugar.

Em todo tempo e em tempo nenhum.

É a força primordial que flui através de todos nós e todas as coisas.

Seus pais são seus melhores amigos,

Então escute-os e respeite-os sempre!!!

Meus pais não querem que eu seja Wicca, posso mentir?

A pergunta que recebo muito!

Pergunta:

Meus pais não querem que eu seja bruxo- eu não posso simplesmente mentir?

Meus pais não acham que eu deveria estudar wicca , pois nossa família é cristã. Estou pensando apenas em dizer a eles que eu não estou estudando Wicca, mas fazê-lo de qualquer maneira e não apenas dizer a eles, mas dizer que sou cristão. Eu tenho um lugar onde posso esconder alguns livros, e eu provavelmente posso encontrar alguém para me ensine em segredo. Posso ou devo mentir, estou certo?

Resposta:

Não, não, mil vezes não.

Se você é menor de idade, gostando ou não os seus pais são responsáveis ​​por você, e tomam decisões por você.

Se você decidiu se converter ao Wicca ou Paganismo, você precisa ter uma conversa de coração para coração com seus pais.

Eles não irão saber o que você está falando, por causa de sua própria doutrina religiosa, e não estão dispostos a deixar você explorar seus próprios caminhos, desde que você faça de uma forma informada e inteligente.

Se sua mãe e o seu pai não têm idéia do que é Wicca ou Paganismo, você precisa ter algo em mãos para ler e informá-los do que se trata, senão será a tal “obra do diabo”…

Para fazer isso, você precisa entender primeiro o que é que você realmente acredita, porque se você não sabe, como você pode compartilhá-lo com outras pessoas?

Faça uma lista das coisas que você acredita, assim você pode compartilhar com eles.

Isso pode incluir seus pensamentos sobre a reencarnação, o pecado, a sua interpretação pessoal da Lei de não prejudicar ninguém, ou idéias sobre como Wicca ou Paganismo pode capacitá-lo e fazê-lo crescer como ser humano.

Se você se sentar e ter uma discussão madura e racional com eles, isso significa que não o julgaram atirando “VOCÊ SIMPLESMENTE NÃO ENTENDE!” – Então você pode ter uma chance de convencê-los de que está tudo bem.

Lembre-se, eles estão preocupados com sua segurança, e por isso é importante que você responda às perguntas com sinceridade.

Em alguns casos, os pais podem se opor fortemente a seu filho praticar Wicca ou Paganismo.

Isso geralmente é devido aos ensinamentos de suas crenças religiosas – e como pais, estão no seu direito.

Eles têm o direito de dizer a seu filho que não é permitido a prática Wicca, e nem ao menos ler os livros sobre o assunto. Se este for o caso em sua família, há uma série de coisas que você pode fazer.

Primeiro de tudo, não minta. Nenhum caminho espiritual pode ter um bom começo, se começa com decepção.

Em segundo lugar, você pode aprender e estudar indivíduos não-Wicca, enquanto você viver com seus pais, e no seu lar.

Estude; Mitologia, história e tradição, sobre ervas e plantas, a astronomia, mesmo a religião que seus pais seguem – todas estas são coisas que serão úteis mais tarde.

Guarde os livros pagãos para quando você é for um adulto e se mudar para sua própria casa.

Wicca ainda estará lá te esperando, depois que você fizer dezoito anos, por isso, enquanto você está vivendo sob os cuidados de sua mãe e seu pai, respeite os seus desejos.

Em outro aspecto;

Agora, se você tem pais que depois de esclarecer do que se trata wicca e bruxaria te permitirem praticar a arte, você foi abençoado por quem mais te ama na vida.

Esta foi uma decisão informada e educada.

Nestes casos, os pais entendem que a espiritualidade é uma escolha muito pessoal.

Seja grato(a) e se importe em compartilhar informações com eles em cada oportunidade. Eles vão querer saber se você está seguro(a), assim seja honesto(a) e aberto(a) com eles.

Mesmo depois de permitirem esta prática, seus pais ainda podem ter regras que eles esperam que você siga, e isso é bom demais.

Talvez eles não se importam por seu estudo, mas não gostem que você acenda velas em seu quarto, ou mesmo incensos.

Talvez eles estejam preocupados com você ingressar enquanto você ainda é menor.

Essa é uma preocupação legítima e normal.

Encontre maneiras de estudar e aprender que não incomode no estilo de educação que seus pais queiram te dar, notifique-os sempre quando for dar um passo diferente.

Afinal, eles estão confiando em você!

Lembre-se, a chave aqui é a honestidade e a integridade.

Você pode não gostar das regras de seus pais, mas você tem que segui-las.

Se desrespeitar seus pais ou tutores de nada servirá e não te levará a lugar nenhum, e sua luz será negativa.

Lembre-se que o trabalho deles como pais é estar preocupados com você.

É seu trabalho como filho(a) respeitá-los e ser honesto(a) com eles.

Você tem uma vida inteira para estudar magia de forma correta.